Grupo Pró-Babitonga (GPB) faz pausa para as festas de fim de ano

Já em ritmo de Natal e expectativa de Ano Novo, o Grupo Pró-Babitonga (GPB) encerrou suas assembleias no dia 17 de dezembro. Motivados com o desempenho de 2019, o clima entre seus membros é de comemoração e perspectivas de muito trabalho e realizações para 2020. Se Natal é celebração à vida, que assim seja por todo o Ano Novo. Brindemos pela saúde e pelo desenvolvimento sustentável no ecossistema da Baía Babitonga. A partir da segunda quinzena de janeiro algumas Câmaras Técnicas (CT) retomam atividades e na manhã de 11 de fevereiro de 2020, a partir das 9h30, acontece a primeira reunião plenária do GPB no auditório do Ministério Público Federal (MPF), em Joinville, SC. Todos os eventos do GP

GPB consolida-se com quatro Grupos de Trabalho (GT)

O Grupo Pró-Babitonga (GPB), encerra o ano de 2019 com três GT em plena atividade e mais um em processo de formação. Constituído com o objetivo de contribuir para a gestão participativa e integrada do Ecossistema Babitonga, o GPB reúne sistematicamente dezenas de voluntários com experiências práticas e/ou acadêmicas. Além das três Câmaras Técnicas (Investimento e Sustentabilidade, Fiscalização Ambiental e Canal do Linguado) o fórum colegiado se complementa com o Grupo de Trabalho de Gerenciamento Costeiro (GTGC), Grupo de Trabalho de Licenciamento Ambiental (GTLA), Grupo de Trabalho de Comunicação (GTCom) e, em processo de formação, o Grupo de Trabalho de Pesca (GTPesca). A Baía Babitonga é

GPB termina 2019 com três Câmaras Técnicas ativas

O Grupo Pró-Babitonga (GPB), que tem por objetivo contribuir para a gestão participativa e integrada do Ecossistema Babitonga, encerra o ano de 2019 com sua estrutura consolidada. Entende-se por Ecossistema Babitonga a lâmina d’água da Baía Babitonga, incluindo seus bosques de manguezal e marisma, além do litoral adjacente a baía, entre a foz dos rios Saí-Guaçú (ao norte) e Itapocu (ao sul), até a profundidade de vinte metros. Além do colegiado formado por voluntários dos segmentos socioeconômico, público e socioambiental que se reúne mensalmente no auditório do Ministério Público Federal (MPF) de Joinville, SC, as Câmaras Técnicas (CT) complementam a demanda do dinâmico fórum. Na imagem o

Pescadores artesanais veem o Grupo Pró-Babitonga como mais um importante fórum de apoio à classe

A pesca artesanal na Baía Babitonga produz em média 7 mil toneladas de pescado ao ano, o que representa aproximadamente 8,5% do total produzido no estado de Santa Catarina Pescador da Baía Babitonga prepara lance de tarrafa para pesca de iscas vivas A reunião do Grupo Pró-Babitonga (GPB) do mês de dezembro de 2019, que aconteceu na manhã do dia 10, lotou o auditório do Ministério Público Federal (MPF) em Joinville, SC. Entre os 52 participantes, mais de 20% eram pescadores e pescadoras artesanais que têm os seus sustentos e o de seus familiares garantidos pelos pescados da Baía Babitonga. A milenar atividade profissional vem enfrentando cada vez mais conflitos e restrições impostos por legis

Arquivo de notícias
Categorias de notícias
Siga
  • Facebook Basic Square