Sexta reunião do Grupo Estratégico de Mobilização (GEM) discutiu sugestões ao documento-base

21-Sep-2016

 

O Grupo Estratégico de Mobilização (GEM) se reuniu na última quinta-feira (15/9), no auditório do Ministério Público Federal (MPF) em Joinville, para discutir as sugestões encaminhadas ao documento-base para a formalização do Grupo Pró-Babitonga (GPB). Participaram representantes de 28 instituições, incluindo representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), do MPF e do governo do estado de Santa Catarina.

 

O documento-base busca analisar cenários para garantir o fortalecimento da gestão ambiental pública no Ecossistema Babitonga. Ele foi construído por um Grupo de Trabalho formado por participantes do GEM que se reúne para propor a composição e mecanismos de funcionamento e gestão do futuro GPB.

 

 

O apoio mútuo entre o Projeto Babitonga Ativa (Univille) e o grupo SC Babitonga também foi discutido e estimulado pelos participantes. O SC Babitonga foi formado pelo governo de Santa Catarina com o objetivo de reunir as secretarias de Desenvolvimento Sustentável (SDS), do Planejamento (SPG), a Casa Civil (SCC) e a Fundação do Meio Ambiente (FATMA) para buscar a compatibilização e a integração de informações relativas à tutela ambiental da Baía da Babitonga, entre outros objetivos.

 

O chefe do escritório do IBAMA em Joinville, Luiz Ernesto Trein, reiterou a importância de o GT SC Babitonga envolver os integrantes do GEM e considerar os dados técnicos e informações por ele levantadas. A representante da SDSX, Dra. Roberta Noroschny, informou  que o SC Babitonga deverá utilizar informações geradas pelo Babitonga Ativa em suas atividades.

 

Para o procurador do MPF, Tiago Gutierrez, o principal ponto para a construção de cenários para a Baía Babitonga é a definição sobre o peso de cada atividade e serviço ecossistêmico para se chegar ao consenso. Representante do ICMBio, Walter Steenbock estimulou a institucionalização do GPB, mas chamou a atenção para a necessidade de mobilização social em torno da proposta.

 

No mesmo sentido, Ana Paula Cortez, da AMECA reforçou a necessidade de que as entidades participantes do GEM encaminhem propostas para a representatividade para serem adicionadas ao Documento-Base. “Que coloquem no papel, de maneira pública, qual é a sua ideia, a sua representação”, disse.

 

Dentre os encaminhamentos da reunião, foi definido que a equipe do Projeto Babitonga Ativa receberá as contribuições das demais entidades participantes do GEM que quiserem sugerir propostas ao documento-base. Uma outra reunião do GEM está marcada para 21 de outubro para avançar na formalização do GPB e para a apresentação do Diagnóstico Socioambiental do Ecossistema Babitonga, estudo elaborado pelo Babitonga Ativa.

Please reload

Posts Em Destaque

"Operação Uçá", a 2ª ação integrada de fiscalização na Baía Babitonga

July 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo