Saídas a Campo a Câmaras de Vereadores do entorno da Baía Babitonga mobiliza participantes da Formação Continuada em Ecocidadania ao exercício da cidadania

4-May-2017

 

Os participantes da Formação Continuada em Ecocidadania (FCE), ação da Agenda Integrada de Ecocidadania facilitada pelo Projeto Babitonga Ativa (Univille), vivenciaram nas Câmaras de Vereadores de cada um dos seis municípios de entorno da Baía Babitonga a 3° saída a campo da FCE, realizada em novembro de 2016. A saída a campo teve como objetivo incentivar a participação das turmas em órgãos colegiados, ações socioambientais e em espaços de aprendizagem, tomadas de decisão e resolução de problemas. Neste ciclo foi realizada a 3ª saída a campo da estrutura curricular da FCE:

 

Espaços e Estruturas Educadoras III (espaços colegiados e tomadas de decisão locais) - (Saída a Campo 3 do Módulo III da Estrutura Curricular da FCE).

 

As atividades desenvolvidas durante as saídas buscaram estimular o sentimento de pertencimento da população sobre o território e a responsabilidade coletiva sobre ele. Além disso, integraram as turmas ao processo de estruturação do Grupo Pró-Babitonga (GPB), bem como promoveu uma análise de cenários futuros para a manutenção das atividades da FCE e AIE a partir da mobilização dos seus participantes. Nesse sentido, as discussões integraram os conhecimentos a visita às Câmaras de Vereadores e a aplicação da metodologia NET MAP (mapeamento de redes institucionais).

 

As atividades se iniciaram com o diálogo sobre os princípios básicos da democracia, os três poderes, direitos e deveres de cada cidadão e o papel do Ministério Público Federal, buscando promover uma reflexão sobre as teorias e as práticas em nossa sociedade e qual o  papel do cidadão em relação às questões socioambientais.

 

Após o diálogo foi iniciada a abordagem da metodologia NET MAP que buscou explorar as relações que moldam e afetam a gestão socioambiental, propondo aos participantes a construção de um mapa das relações entre instituições e/ou pessoas e as respostas a perguntas-chave. Neste caso, os participantes buscaram identificar quem influencia a gestão ambiental pública para a saúde do Ecossistema Babitonga e quem influencia a continuidade, a longo prazo, da Agenda Integrada de Ecocidadania.

 

O ciclo contou com a participação dos coordenadores de ciência e executivo do Projeto Babitonga Ativa, Leopoldo Gerhardinger e Fabiano Grecco, especialmente na condução da apresentação da linha do tempo do Projeto e na aplicação da metodologia NET MAP, parte das pesquisas que vem sendo realizadas em parceria com a Universidade de Bremen, na Alemanha. Em Araquari, a equipe também contou com a participação de Eduardo Alexandre dos Santos, integrante da Associação SocioAmbientar, de Itajaí (SC), que apresentou um relato sobre sua experiência em espaços colegiados, especialmente em temas socioambientais. Em Itapoá, o ecocidadão envolvido na FCE e servidor público da Câmara de Vereadores, Francisco Xavier Soares Filho, apresentou a Câmara local e abordou a complexidade organizacional deste espaço de decisão.

 

As educadoras, facilitadoras das saídas Maiti Fontana e Mirella Cursino, também abordaram junto aos participantes questões teóricas sobre ecocidadania, governança, ecologia política, alfabetização institucional, participação social, entre outros temas. Os participantes também puderam conhecer mais sobre as atividades desenvolvidas pelo Grupo Estratégico de Mobilização (GEM), bem como o Documento-Base: “Análise de cenários para o fortalecimento da gestão ambiental pública no ecossistema Babitonga. Também foram convidados a fazerem parte deste grupo e participar da 11ª reunião do GEM, realizada em abril de 2017.

 

Nesta vivência também foi apresentado e entregue o questionário de análise de rede social com objetivo de promover uma agenda de interações cada vez mais integradas e voltadas para a saúde da Baía Babitonga. A análise vem sendo realizada pelo Projeto Babitonga Ativa em parceria com a Universidade de Bremen, a partir do mapeamento estrutural e explícito da rede social da Babitonga visando identificar o impacto do projeto na gestão ambiental pública. Também foram protocolados ofícios de apresentação da Agenda Integrada de Ecocidadania na maioria das Câmaras de Vereadores. 

 

As saídas a campo são estratégias pedagógicas significativas para o processo de ensino e aprendizagem e, ainda, possibilitam o exercício da cidadania nos espaços e estruturas educadoras que fazem parte da sociedade, como a Câmara dos Vereadores, um local de tomada de decisões coletivas que deve se aproximar da educação e cidadania de todos, desde educadores até os jovens. Em Joinville, por exemplo, existe o Plenarinho para exercitar com os jovens, assim como em outros municípios existem outros projetos e ações para fortalecimento da educação institucional e exercício da cidadania.

 

Os participantes de todos os municípios se envolveram efetivamente nos diálogos e debates sobre a importância da participação nos espaços de discussão e de tomada de decisão coletiva sobre o futuro da sociedade. Esses espaços proporcionam importantes debates junto ao Poder Público assim promovendo realmente a participação social e democrática entre os diversos segmentos da sociedade. E, ainda, os participantes se mostraram muito interessados em aprender e multiplicar em suas escolas e comunidade escolar a proposta da saída a campo, especialmente com os alunos adolescentes. Eles também demonstraram interesse em multiplicar as discussões e atividades dessa vivência para a sala de aula.

 

 

 

São Francisco do Sul

 Joinville

 

 

Itapoá

 

 

1/16

 

Garuva

 

1/19

 

Balneário Barra do Sul

 

1/20

 

Araquari

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

"Operação Uçá", a 2ª ação integrada de fiscalização na Baía Babitonga

July 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes