Você conhece os pequenos cetáceos?

30-Aug-2016

 

Popularmente conhecidos como golfinhos ou botos, os pequenos cetáceos desempenham um papel importante nos ecossistemas que habitam, estabilizando e garantindo um sistema produtivo e saudável. Eles formam um grupo com 69 espécies distribuídas em nove famílias, variando de tamanho entre a orca (Orcinus orca - Sim, a orca é um golfinho!), cujo macho atinge nove metros de comprimento e ocupa porções marinhas ao redor do mundo, e o tucuxi (Sotalia fluviatilis), com cerca de 1,7 metro de comprimento e restrito à bacia Amazônica.

 

Em grande parte do mundo, os pequenos cetáceos estão ameaçados, inclusive pela falta de informações sobre suas condições. Dentre as 69 espécies de pequenos cetáceos reconhecidas pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), 40 (58%) são classificadas como Deficiente em Dados, o que significa que não há informação suficiente disponível para determinar se elas estão ou não ameaçadas.

 

Os golfinhos são tão importantes para os ecossistemas que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) elaborou o Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação dos Mamíferos Aquáticos – Pequenos Cetáceos e o Plano de Ação Nacional para a Conservação da Toninha.

 

Os planos visam conservar os golfinhos em todo o território nacional, relacionando as espécies mais ameaçadas e indicando ações prioritárias para conservar sua biodiversidade. O PAN Pequenos Cetáceos busca aumentar o conhecimento sobre as espécies deficientes de dados e propõe ações para salvaguardar as espécies ameaçadas, enquanto o objetivo principal do PAN Toninha é o de evitar o declínio populacional da espécie.

 

De maneira geral, botos e golfinhos estão expostos principalmente a capturas incidentais em redes de pesca, degradação dos seus habitats, poluição dos ambientes aquáticos, prospecção e exploração sísmica (exploração de petróleo) nas áreas de migração e de reprodução, além da colisão com embarcações e da pesca predatória ilegal.

 

Na Baía Babitonga, duas espécies de golfinhos  estão presentes: o boto-cinza (Sotalia guianensis) e a toninha (Pontoporia blainvillei). Conforme indicam as pesquisas realizadas na região, ambas as espécies ocorrem ao longo de todo o ano na área, que utilizam para descanso, reprodução, cria de filhotes e alimentação. A Babitonga é a única região do Brasil onde a toninha (também chamada de franciscana) ocorre num ambiente estuarino protegido e vem sendo estudada na natureza desde 1997. A baía é um dos poucos locais onde a toninha é avistada com frequência em seu ambiente natural, constituindo-se uma excelente oportunidade de obtenção de dados para seu conhecimento, podendo também ser utilizados na implementação de estratégias voltadas à conservação do Ecossistema Babitonga.

 

*Com informações do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Mamíferos Aquáticos (ICMBio), disponível aqui.

Please reload

Posts Em Destaque

"Operação Uçá", a 2ª ação integrada de fiscalização na Baía Babitonga

July 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo