Pesca do mero segue proibida por mais oito anos na costa brasileira

7-Oct-2015

 

O Governo Federal prorrogou por mais oito anos a proibição da pesca do peixe mero (Epinephelus itajara), bem como o armazenamento, transporte e a comercialização de exemplares da espécie em todo o território nacional. A portaria dos ministérios do Meio Ambiente e da Pesca e Aquicultura entrou em vigor ontem (6). Quem desrespeitar a regra está sujeito a detenção de um a três anos, pagamento de multa que pode chegar a R$ 100 mil, além do acréscimo de R$ 20 por quilo ou fração do produto da pesca.

 

O mero é um peixe dócil, apesar de imponente: habita zonas de mangues, costões rochosos e recifes de coral, pode viver 40 anos, atinge mais de 2 metros de comprimento e chega a pesar quase 500 quilos. Por permitir a aproximação e o contato com humanos, a espécie é admirada por mergulhadores, mas se tornou alvo de cobiça da pesca predatória, sendo a interferência humana a principal razão da sua ameaça de extinção.

 

Como o mero é um peixe que cresce vagarosamente e que demora a iniciar a atividade reprodutiva, sua proteção é fundamental para a manutenção da espécie. Por falta de fiscalização na Baía Babitonga, local propício para a reprodução, ainda são relatados casos isolados de pesca do mero. A proibição da captura no país foi decretada, pela primeira vez, em 2002, por um período de cinco anos. Desde então, a regra vem sendo renovada.

Please reload

Posts Em Destaque

"Operação Uçá", a 2ª ação integrada de fiscalização na Baía Babitonga

July 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

January 21, 2020

Please reload

Arquivo